Tocantins 38° C

Principais causas de afastamento do trabalho por acidente no TO

Dos 20 principais registros do estado, sete são fraturas

22/05/2018

| Atualizado em

22/05/2018

180

Principais causas de afastamento do trabalho por acidente no TO

Palmas, TO - Das 20 principais causas de afastamento por acidente ou adoecimento no trabalho em Tocantins, sete são tipos de fraturas. Em 2017, esses acidentes obrigaram 297 trabalhadores a se ausentarem das atividades laborais por mais de 15 dias. O número corresponde a 39,97% de todos os casos registrados no ano passado.

Os dados foram repassados ao Ministério do Trabalho pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) com base nos benefícios concedidos no estado. Os números ainda são preliminares, mas servem para chamar a atenção à prevenção de acidentes e adoecimentos que vitimam trabalhadores diariamente. Em todo o ano de 2017, eles afastaram 743 trabalhadores em Tocantins, uma média de pelo menos dois trabalhadores por dia.


Para fazer um alerta sobre a seriedade do tema, o Ministério do Trabalho realiza até novembro a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Canpat). O ministro do Trabalho, Helton Yomura, explica que o objetivo é conscientizar empregadores, trabalhadores e toda a sociedade sobre a necessidade de observar as normas de segurança e saúde no ambiente de trabalho.

“Precisamos olhar para esse tema com a importância que ele merece. Ter ambientes de trabalho seguros e saudáveis é importante tanto para o trabalhador quanto para o empregador, com benefícios que alcançam todos os brasileiros, economicamente ativos ou não”, destaca.

No Brasil, em 2017, foram concedidos 196.754 benefícios a trabalhadores afastados devido a acidentes ou adoecimentos laborais. A média foi de 539 afastamentos por dia. As quatro principais causas foram as fraturas, a quinta, dorsalgia.