Tocantins 37° C

Cine Cultura recebe 12ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos

Ao todo, serão exibidos 40 filmes, divididos em quatro mostras

20/11/2018

| Atualizado em

20/11/2018

5080

Cine Cultura recebe 12ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos

Palmas, TO - Com a Declaração Universal dos Direitos Humanos como tema, o Cine Cultura, no Espaço Cultural José Gomes Sobrinho, receberá parte da programação da 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos. Realizada em 26 capitais e no Distrito Federal, em Palmas a Mostra terá exibições no Cine Cultura e no Cine Sesc. A abertura oficial acontece na terça-feira, 20, às 19 horas no Sesc. No Cine Cultura, a Mostra começa na quarta-feira, 21, a partir das 15 horas, com a Mostrinha, direcionada ao público infanto-juvenil. A entrada é gratuita.

Ao todo, serão exibidos 40 filmes, divididos em quatro mostras: Temática, Panorama, Mostrinha, dedicada ao público infanto-juvenil, e Homenagem, que celebra a carreira do ator e diretor Milton Gonçalves. A mostra é uma iniciativa do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), com realização do Instituto Cultura em Movimento (Icem), em Palmas tem apoio da Fundação Cultural de Palmas.

Os filmes abordam as diversas temáticas dos Direitos Humanos, como memória e verdade, questões de gênero, população negra, população indígena, população LGBT, imigrantes, direito das pessoas com deficiência, direito da criança, direito dos idosos, direito da mulher, direito à saúde, direito à educação, diversidade religiosa e meio ambiente. Para permitir a acessibilidade, todas as sessões contam com closed caption, e em sessões selecionadas haverá áudio descrição e Libras.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos

A Declaração Universal dos Direitos Humanos surgiu em 1948 como um grito de liberdade e o clamor por respeito, contra o fascismo e a milhões de mortes da 2ª Guerra Mundial. Segundo a diretora de Promoção e Educação em Direitos Humanos do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), Juciara Rodrigues, a Mostra promove ações públicas que transcendem governos, por isso já está em sua 12ª edição. “Trata-se de uma revolução silenciosa e maravilhosa. Vai até as pessoas para mostrar a elas a importância de ser cidadão e do respeito ao próximo. Chega até elas levando educação amorosa e libertária, para que possam refletir qual o nosso papel no mundo. É uma forma de lutar e resistir a qualquer tipo de opressão, de objeção em relação ao exercício da nossa cidadania e direitos”, diz Juciara.

Com mais de 70 filmes no cinema, o ator e diretor Milton Gonçalves, homenageado na Mostra, é um dos mais prolíficos artistas do País. Presente nas telas e palcos desde a década de 50, participou da história da televisão, do teatro e do cinema brasileiros. Sua versatilidade dramática e seu talento venceram as barreiras que normalmente são impostas aos artistas negros no País. “Sua atuação no cenário político e sua militância pelos Direitos Humanos e contra o racismo o tornam um desses artistas cuja trajetória precisa ser registrada e cuja história deve ser contada para os jovens. Milton Gonçalves soube como poucos manter um rigor artístico e, ao mesmo tempo, uma atuação e coerência política”, diz a diretora do Icem Luciana Boal. “Com a proximidade de seus 85 anos de vida, em 2018, é fundamental conhecer o homem, marido, pai, político, ator e diretor Milton Gonçalves”, completa.