Tocantins 31° C

Escolas Públicas discutem suicídio com alunos e índios no TO

As atividades contam com caminhadas, palestras, dinâmicas e conversas com psicólogos sobre as formas de combater o suicídio

Fernando Hessel - Palmas, TO

17/09/2019

| Atualizado em

16/09/2019

3465

Escolas Públicas discutem suicídio com alunos e índios no TO

Palmas, TO - As escolas, principalmente as que ofertam o ensino médio, estão promovendo diversas atividades alusivas ao Setembro Amarelo, que tem o objetivo de compartilhar informações, esclarecer, conscientizar e promover o diálogo sobre o suicídio.

No Colégio Estadual Indígena Toro Hacrô, no município de Goiatins, foi realizado um conjunto de dinâmicas visando promover a reflexão sobre a importância da vida, da felicidade, do compartilhamento de cuidados mútuos e do fortalecimento da identidade. O projeto prevê o envolvimento da comunidade, já que conscientiza os moradores sobre a necessidade de falar sobre o assunto e ficarem alertas sobre os sinais.

Foto 1 Colegio Estadual Indigena T oro Hacrô foto divulgação 3

Uma das ações promovidas pela escola foi estudar temas como suicídio, depressão, alcoolismo e problemas econômicos, assuntos que os educadores irão dialogar com os estudantes. A ação foi realizada em parceria com o Polo Base do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) de Itacajá.

O coordenador pedagógico Vitor de Aratanha Maia de Araújo explicou que promover debates sobre o tema suicídio é fundamental na escola, local onde os alunos passam parte do seu tempo. “O mundo está em constante transformação e nós precisamos entender bem como os jovens estão recebendo esse mundo para viver e como eles estão se sentindo e experimentando a identidade indígena em um mundo dividido entre tradição e modernidade”, esclareceu.

O Colégio Estadual Indígena Toro Hacrô atende a 189 alunos matriculados e oferece o ensino fundamental e médio.

Em Itaporã

A equipe do Colégio Estadual Francisca Alves de Alencar, localizado em Itaporã, elaborou diversas atividades como palestras e dinâmicas sobre emoções e o sentido da vida. O projeto denominado Eu e meus talentos no palco da vida integra as ações do Projeto de Vida do Programa Escola Jovem em Ação.

No próximo dia 17 e 19, a escola promoverá uma conversa com a psicóloga Paula Andréia sobre automutilação.

Em Guaraí

No Centro de Ensino Médio Oquerlina Torres, em Guaraí, a escola promoveu uma mobilização e caminhada, que teve o objetivo ensinar aos a refletirem sobre os sentimentos.