Tocantins 32° C

Boletim passa a apresentar análises de testes e dos óbitos por Covid

Documento revela total de óbitos por idade, sexo, escolaridade, raça, comorbidades e região territorial; maioria dos testes é feita na rede pública.

Thomas Hessel - Palmas, TO

10/08/2020

| Atualizado em

11/08/2020

112

Boletim passa a apresentar análises de testes e dos óbitos por Covid

Palmas, TO - A partir desta segunda-feira, 10, o Boletim Epidemiológico do novo coronavírus (Covid-19) de Palmas passa a fornecer uma análise detalhada semanalmente sobre testes e óbitos ocorridos na Capital em decorrência de complicações causadas pela doença e uma linha do tempo sobre o agravo. Outra novidade que o documento traz é a síntese de testes oferecidos pelo Município. Até o momento, 60 pessoas morreram pela enfermidade e a taxa de letalidade é de 0,8%.

O documento, que é produzido pela Secretaria Municipal da Saúde (Semus), por meio do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE Palmas Covid-19) e do Sistema de Informação de Mortalidade de Palmas (SIM), destaca a distribuição de óbitos conforme a idade, sexo, escolaridade, raça, comorbidades e região territorial. Sobre os testes, o COE traz dados numéricos sobre tipos de metodologia de ensaios laboratoriais realizados para confirmação ou descarte dos casos notificados para Covid-19 e a origem da execução dos exames realizados em moradores da Capital.

A enfermeira coordenadora da Vigilância do Óbitos e Nascidos Vivos, Patrícia Ferreira Nomellini, explica que a análise desses óbitos tem sido importante para identificar os grupos de maior risco de morrer, as comorbidades associadas que podem contribuir para a morte, além de identificar possíveis fragilidades e monitorar a situação epidemiológica.

“Os resultados das análises subsidiam a tomada de decisão para melhoria da assistência e da organização de fluxos e serviços para reduzir o risco de morrer por Covid 19. A Semus mantém equipe de vigilância qualificada para garantir a informação oportuna e com qualidade no período da pandemia, articulou canal de comunicação com profissionais dos hospitais públicos e privados, e realiza a investigação de todos os óbitos confirmados ou suspeitos para qualificar a informação, além de outras ações que fazem parte da rotina de investigação dos casos”, afirma.

Análise

Os dados detalhados serão fornecidos semanalmente. No documento de hoje, o COE revela que das 60 pessoas que já morreram por Covid-19, 24 são mulheres e 36 são homens. A maioria das mortes é de pessoas que tinham entre 60 e 69 anos (16 óbitos), tinham o ensino fundamental (16) e eram pardas (28).

A respeito das comorbidades isoladas, a hipertensão arterial era parte do perfil da maioria dos óbitos pela doença (sete casos), seguida da obesidade (quatro casos), diabetes mellitus (a popular diabetes tipo 2) e neoplasia (três casos). Em relação a óbitos por Covid-19 de pessoas que tinham múltiplas comorbidades, o documento mostra que diabetes mellitus associada a hipertensão arterial estão no ranking de enfermidades da maioria dos óbitos (seis casos), seguida de hipertensão arterial e obesidade (quatro casos).

Testes

O Boletim aponta que dos 18.747 testes para detectar Covid-19 em residentes de Palmas, 51,4% foram testes feitos por sorologia (análise sanguínea) e RT-PCR (secreção respiratória). Desse mesmo número, o documento mostra que os laboratórios públicos são responsáveis pela análise maioria dos testes: 12.841 pessoas foram testadas no município (8.304 negativos e 4.537 positivos). Já os laboratórios privados fizeram 5.906 exames (3.458 testes são negativos e 2.448 positivos).

Linha do tempo

A linha do tempo apresentada pelo COE mostra pontos marcantes do combate à pandemia em Palmas. Entre os pontos destacados estão o primeiro caso registrado (dia 18 de março), primeiro óbito ocorrido (dia 14 de abril) e a evolução da doença no município.