Tocantins 31° C

Prefeitura começa a imunizar profissionais da saúde contra a COVID-19

Primeira remessa disponibilizada pelo governo estadual é de 3.331 para vacinar 34% dos trabalhadores que atuam na linha de frente de combate à doença.

Thomas Hessel - Palmas, TO

20/01/2021

| Atualizado em

22/01/2021

176

Prefeitura começa a imunizar profissionais da saúde contra a COVID-19

Palmas, TO - Em ato simbólico realizado na manhã desta quarta-feira, 20, na Unidade de Saúde da Família (USF) da Arno 61 (503 Norte), a Prefeitura de Palmas deu início à vacinação contra a Covid-19 referente a primeira remessa de doses destinadas a Capital. A médica Beatriz Ferroli Cavalcante foi a primeira a receber a dose, seguida pela técnica em enfermagem Juliana Alves de Souza, logo após o médico Vitor Kleim, e a enfermeira Keile Cristina Cabral Castro. O momento contou com a presença da prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, da secretária municipal da Saúde (Semus), Valéria Paranaguá e profissionais da área de saúde.

“Hoje é um dia histórico para Palmas. O dia de hoje muda significativamente o ânimo do palmense e automaticamente de todos os brasileiros que acreditam na vitória nesta guerra travada contra o coronavírus. Temos muito que agradecer aos profissionais que estão envolvidos neste processo e reforçar a necessidade de trabalhar em conjunto. Isso mostra que nossos profissionais são capacitados e o SUS funciona", declarou Cinthia.

Na USF da Arno 61 serão imunizadas 12 pessoas, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. A primeira remessa recebida compreende 3.331 doses e atenderá 3.260 servidores, 34% do quantitativo de trabalhadores aptos a receberem a vacina neste primeiro momento, além de 71 doses para idosos institucionalizados.

Vale destacar que cada frasco da CoronaVac, desenvolvida em parceria entre o Instituto Butantan e a fabricante chinesa de medicamentos Sinovac Biotech, contém 0,5 ml da vacina e vale por uma dose, ou seja, cada frasco imuniza apenas uma pessoa. 

Outras 3.331 doses da vacina serão repassadas em fevereiro, e correspondem à segunda aplicação do imunizante contra a Covid-19. O intervalo recomendado entre a primeira e segunda aplicação é de 28 dias. A segunda dose já está garantida é está sob guarda do governo do Estado. Além das doses da vacina, foram entregues as agulhas e seringas necessárias para a aplicação da vacina.

“Neste primeiro momento Palmas não foi contemplada com cota de doses para indígenas e quilombolas, pois o município não possui aldeias ou comunidades quilombolas”, esclareceu a secretária Valéria Paranaguá.

Ainda de acordo com a secretária, as vacinas serão administradas nas próprias unidades de saúde onde os profissionais do grupo prioritário estão lotados, para evitar aglomerações e deslocamento de trabalhadores.

 

Momento histórico

A médica Beatriz Ferroli Cavalcante, 26 anos, que foi a primeira profissional a ser imunizada e tem pessoas com comorbidades na família, vê como um momento de esperança a chegada da vacina e acredita que esta seja uma grande conquista neste cenário pandêmico. "Sinto-me sinto honrada em receber a primeira dose da vacina em Palmas e espero que tão logo todas as pessoas, não apenas da área da Saúde, podem estar imunes a esta doença".

“Não precisa ter medo da vacina.” Este foi o recado do médico Vitor Kleim, também atuante na linha de frente contra a Covid-19. “Estou feliz demais com a chegada da vacina e espero o quanto antes que toda a população receba o imunizante. Mas é preciso manter todos os cuidados e seguir com os protocolos de segurança: usar máscara e álcool em gel, lavar as mãos e nada de aglomerar”, alerta.

Responsável por realizar as coletas de exames para Covid-19 na USF da Arno 61, a técnica de enfermagem Juliana Alves de Souza, de 31 anos, está aliviada em receber a primeira dose, pois além de estar em contato direto com pessoas infectadas pelo vírus, possui familiares do grupo de risco. “É triste ver pessoas conhecidas sendo acometidas pela doença, mas agora temos em mãos uma nova arma para combater o coronavírus”, celebrou.

 

Perfis dos profissionais

 -      Juliana Alves de Souza, técnica de enfermagem, 31 anos. Servidora concursada da Semus, atua na USF da Arno 61 desde 2014. A servidora é responsável por realizar as coletas de exames para Covid-19 (PCR e TR).

-       Beatriz Ferroli Cavalcante, médica, 26 anos. Clínica geral contratada há cerca de um ano na rede municipal de saúde. A profissional atua na linha de frente da Covid-19 desde o início da pandemia.

-       Keile Cristina Cabral Castro, enfermeira, 38 anos. Contratada pela Semus há oito meses, atuou em outras unidades da rede municipal e está na USF da Arno 61 desde agosto, onde presta atendimento a pacientes suspeitos e confirmados para a Covid-19.

-       Vitor Kleim, médico, 24 anos. Contratado desde abril do ano passado, iniciou os atendimentos na USF da Arse 101 (1004 Sul) com casos de Covid e demandas espontâneas da comunidade e também atende no Centro de Atenção Especializada Francisca Romana Chaves (Policlínica da Arno 31).